Siga-me no Pinterest!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Crise dos 20 e tantos anos



 Talvez seja o clima nostálgico de fim de ano, mas me peguei pensando em algo que uma certa professora disse. Durante uma aula, ela aconselhou-nos a curtir mais a vida, viajar, sair com os amigos,  passar mais tempo em família, porque ela via muitos alunos surtando por conta da faculdade, entrando em colapso tanto físico, quanto mental. Altas cobranças pessoais sobre ser alguém da vida, viver em prol da faculdade e sucesso profissional, esquecendo que é apenas uma parte microscópica do que forma um ser humano.
Claro que, quando se têm objetivos, é necessário abrir mão de algumas coisas, mas a sanidade mental e o bem estar físico não são uma delas.
E assim, começam as crises dos 20 e tantos anos, seu círculo de amigos diminui, alguns casam, outros têm filhos, alguns se mudam e os encontros por acaso são cada vezes mais raros, sempre marcados por "Vamos marcar de sair", uma saída que quase nunca vai acontecer.
 O tempo em casa ficam cada vez mais raros, os almoços de domingo em família também, as responsabilidades aumentam, e as cobranças brotam de todos os lugares. E no meio nessa grande confusão querem que você seja bem sucedido, sociável, tenha praticamente 100% de certeza do que está fazendo na vida (mesmo sem experiência), seja seguro, emocionalmente bem resolvido e isso tudo sem surtar.
Surge aquele sentimento de saber que somos adultos, entretanto ver outras pessoas da mesma idade tão bem resolvidas passam a auto impressão de que estamos estagnados, levando a questionar se merecemos realmente o título de "adultos" e esquecemos que a maturidade é uma construção, mas que para isso, todas partes precisam estar em harmonia, o emocional, o mental, o físico. 
Por isso, não é vergonha nenhuma recomeçar. Se não está satisfeito com o curso que faz, troque. Se não está mais satisfeito com o lugar ou a forma de viver que escolheu, corra atrás e mude. Vergonhoso não é mudar de opinião, vergonhoso é escolher ser infeliz para passar impressão de estar bem com algo que pode te corroer intimamente e te deixar na zona de conforto para o resto da vida.
Então que em 2017, possamos ser mais livres. Que possamos viajar , ter momentos alegres, fazer novas escolhas, mudar, experimentar e ser grato a energia boa recebida do universo,mas principalmente, que possamos nos encontrar cada vez mais com nosso Eu interior.
Namastê


4 comentários:

  1. esse post falou profundamente comigo, e espero em 2017 conseguir ser mais maleável e me divertir mais e me cobrar menos!
    beijos da Loriene no coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Loriene, tudo bem? Que bom que gostou flor, em breve outros textos e sorteios aqui no blog. Abraço s2
      E aproveitando o verão, terão vaaaaaarias materiazinhas deliciosas sobre roupas fáceis e rápidas de fazer gastando pouco e super estilosas!

      Excluir
  2. Tenho 22 anos e estou passando exatamente por isso. É estressante demais. A gente fica tão obsessiva em cumprir um ideal na sociedade que até nos esquecemos do real motivo pelo qual estamos nos esforçando: ser feliz! Estou começando um blog agora, muito voltado para esses assuntos e outros interesses de nós, jovens mulheres. Adoraria receber uma visita sua. Se puder, dá uma passadinha lá! Bjx

    http://carolinastown.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim como te respondi na outra postagem, adorei seu blog, ele tá com um visual lindo e bem leve, estou de te seguindo de volta, porque adorei seus textos e quero ficar por dentro das próximas postagens, você escreve muito bem. Sucesso para seu blog flor! Bjos S2

      Excluir